sábado, 13 de dezembro de 2008

A Visão Humana no Planeta Terra





Lindo Planeta Terra, conforme o olho que o vê.
O ganancioso e o ambicioso olham a Terra e enxerga o ouro,
As pedras preciosas, as mansões, os carros, os edifícios,
Belos sapatos e lindos vestidos. E quer cada vez mais esses bens possuir e ter.
Outros olham a Terra como prisão sem igual e querem fugir da Terra,
Buscando a fuga fatal nas lides do pensamento, do álcool, dos vícios mil,
Nas drogas e no sexo, no suicídio, enfim de mil e uma maneiras da Terra querem fugir. Outros, não contentes com tudo o que a terra tão generosamente lhes dá,
Buscam em outros planetas, coisas que acham que a Terra não é capaz de lhes dar.
E voltam estarrecidos, encontram um deserto em vão,
Pois quer ver com os olhos do corpo, o que só podem entender com o coração.
Outros enxergam na Terra apenas uns hospitais onde doentes feridos e aleijados
Atropelam-se buscando a cura de seu mau. Outros na totalidade,
Diz que ela é tudo isso, Hospital, Cadeia, Prisão mundo de prova e expiação
E nunca vai passar disso.
Outros vivem na Terra com os olhos voltados para cima,
Tem a consciência que a vida é eterna e querem sair da Terra,
Para alcançarem o céu, esquece-se que o céu está dentro de si mesmo e que se o encontrarem em si, na Terra, em outros planos onde estiverem lá estará ele.
No charco tenebroso ou numa estrebaria, o céu estará presente dentro da criatura,
Ou em caso contrario dela estará ausente. Na Terra as mentes confusas que só enxergam
O mal e não conseguem ver o bem, fomenta a morte as guerras,
Achando que a solução para o problema da Terra é haver revolução
E revolta das massas, para haver modificação no panorama da Terra.
E no Rádio, Jornais e Televisores, nesses meios de comunicações
Mostra na Terra somente a fome, miséria, as guerras, somente destruição.
E a Terra sem defesa, sem nada poder falar,
Continuam todos dando aquilo que querem enxergar.
Pobre e indefesa suporta a destruição de suas Matas, seus Vales,
Seus Rios, seu Ar seu solo seus Animais, suporta a violência que a ganância
E a cegueira do homem traz na Terra a pulsação da vida, está sendo relegada,
Esta sendo esquecido, outrora o mesmo sucedeu belos edifícios,
Verdadeiras obras primas. Hoje, passado o tempo, o que são?
São sós ruínas onde outrora pulsara muitas e muitas vidas, que pela ambição desmedida, hoje jazem destruídas,
Sodoma e gomorra são exemplos dessa civilização que despreza tanto a vida,
Buscando somente a luxuria a riqueza e o prazer e a ambição desmedida.
E a Terra a tudo assiste, continuando a se doar com suas Matas,
Seus Rios, seu Ar, seus Mares, seu Solo, sua Flora, seus Animais
Sem procurar revidar, o homem faz o que quer, com os bens que a Terra lhe dá,
Esquecendo que todas as vidas, inclusive a sua a Terra também lhe dá.
A Terra acima de tudo, é Escola, é Faculdade, cujo Ensino principal é o valor da vida,
Em cada canto em toda parte, quantas vezes terá o homem que aqui chegar
E daqui sair, sem passar de ano sempre a repetir sem aprender
A lição que a Terra quer lhe dar.
Que no Universo não existe maior bem, maior tesouro,
Maior valor que o benefício da vida dada pelo Criador,
A Terra é vossa Mãe e de toda vida que há nela. Sois filho da Terra,
Da vida que nela pulsa, são Irmãos, porque a Terra
Na essência é o espelho que reflete a imagem do Criador,
Pois toda ela é Obra da Criação.

ARGOS
médium Martiña

2 comentários:

Salete disse...

Parabens PAULO...e todo o grupo Argos muita LUZ E PAZ...

Rejane disse...

gostaria da ajuda de voces. Pois acho que estou sofrendo obssessão de encarnado p/ encarnado.um abraço fraterno.